Você sabe o que são Altcoins e a diferença para o Bitcoin?

Muitas pessoas acreditam que o Bitcoin é a única criptomoeda do mercado, mas isso não é mais verdade. No final de 2017, quando a criptoeconomia alcançou sua maior popularidade, existiam aproximadamente 1.400 criptomoedas listadas no maior indexador desse mercado no mundo, o Coinmarketcap. Atualmente, existem mais de 5 mil criptomoedas no mundo. Desta quantidade enorme, o bitcoin, a principal criptomoeda do mercado, possui US$129 bilhões em capitalização de mercado, enquanto o restante das altcoins somam juntas US$62 bilhões.

A capitalização total de mercado das criptomoedas está um pouco abaixo de US$200 bilhões no momento da redação deste artigo.

Altcoins e sua diferença para o Bitcoin

As Altcoins começaram a surgir após o Bitcoin e em sua maioria foram criadas para serem alternativas que pudessem prover algo que o próprio Bitcoin não oferece. Elas aproveitaram todo o caminho já traçado pela moeda criada por Satoshi para criar novas oportunidades e soluções para o mercado.

Todos os dias novas criptomoedas são anunciadas no Fórum Bitcoin Talk, além disso, existem diversas ICOs em andamento. Portanto, o número real de criptomoedas no mercado é certamente muito maior que as 5.006 indexadas pelo Coinlib.

O mercado de criptomoedas apesar de já ter 10 anos, ainda é considerado novo, vários bilionários pelo mundo acreditam que a tecnologia Blockchain é a “nova internet”.

Tim Draper, um investidor de risco, acredita que o mercado vai alcançar US $80 Trilhões em 15 anos. Bem mais que os quase US$ 200 bilhões atuais. Corroborando com a sua previsão, vimos que diversas empresas estão passando por um processo de “tokenização”, criando suas próprias criptomoedas e fazendo parte da revolução. 

Como comprar Altcoins?

Para comprar diversas altcoins, acesse Cointradecx e cadastre-se! O processo é bem simples e não necessita fazer KYC

Fique à vontade para enviar as suas dúvidas para support@cointrade.zendesk.com e siga-nos em nossas redes sociais para ficar por dentro das últimas notícias: Facebook, Instagram e Twitter.

Deixe uma resposta